Atingir objectivos a 100%

September 17, 2017

A diferença que faz a diferença total é o índice da nossa referência. Os objectivos cumprem-se com foco, independentemente de «correr mal» ou «correr bem» ou até «assim-assim». A grande diferença que faz a diferença total é quando pensamos o seguinte: se «correu mal» vou fazer ainda melhor. 

 

1 - Pessoas alinhadas pela média

Acontece algo negativo e desistem, abrandam, ficam frustradas, angustiadas, tristes, bloqueadas, distraídas com as sensações negativas. Dizem «isto não vale a pena», «não vou conseguir», «não é para mim», «não é para agora», «não está ao meu alcance».

O índice de referência é que é absolutamente normal que uma pessoa se sinta assim sempre que algo corre como não quer. Então escolhe-se outra direcção, mais fácil, mais ajustada às frustrações e bloqueios. Actividades que tragam uma boa previsibilidade. Dentro da média. 

 

2 - Pessoas acima da média, campeões

Acontece algo negativo e elas ganham ainda mais força e motivação. Dizem para elas próprias, «este é o caminho que tenho de fazer», «este é o caminho da aprendizagem musculada, do aperfeiçoamento suado e eficaz». O caminho para uma gratificação maior.

O índice de referência é que a verdadeira fonte de motivação é quando as coisas correm como não quer. Só assim ganha força, trabalha o talento, acrescenta valor e é desafiado.

Na foto em cima está Rafael Nadal, n.º 1 do ténis actual, que surpreende o mundo com a sua forma intensa de jogar. O fenómeno é que é muito perigoso ganhar-lhe um ponto, pois no próximo ele está lá com mais intensidade. É muito perigoso quando ele falha uma bola, porque na próxima ele está a fazer um Ás. É muito perigoso ele perder um set, porque cresce a probabilidade de ele ganhar os seguintes. 

 

E é isto que surpreende e admira toda a gente, espectadores, imprensa, comentadores, locutores e desportistas. O índice de referência de Nadal, depois de dar tudo o que tem, fazer tudo o que é capaz, é «de cada vez que não correr bem, vou fazer ainda melhor e com mais dedicação»

 

E isto não é normal, não está na média. Ninguém consegue lembrar-se de ver Nadal entregue a angústias e tristezas. Por isso ele atinge objectivos a 100%, porque o seu índice de referência principal é o foco no que tem de fazer sempre, independentemente de ajuizar «corre bem», «corre mal», «corre assim-assim»

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

Tens ou Queres?...

September 9, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts

September 9, 2019

Please reload

Archive