• JDias

Um coach tem de se conquistar


Ser coach está ao alcance de todos mas nem todos conseguem conquistar-se e regular os seus instintos mais primários. Principalmente o de opinar e dar sugestões sobre a vida dos outros. E enquanto uma pessoa não se conquistar, não será coach de ninguém porque nem sequer é coach de si própria.

O que diferencia o estado de coach do estado de pessoa é a dimensão de responsabilidade.

Quando és apenas tu, como pessoa, tens responsabilidade sobre ti e segues as regras gerais socialmente aceites quanto a empatia, simpatia, etc.

Quando és coach tens responsabilidade sobre o outro e os níveis de empatia e compaixão são muito mais altos.

- Numa conversa dás opiniões, sugestões, teces considerações, gesticulas livremente e expressas juízos de valor facilmente com expressões faciais. Não precisas vigiar-te, estás descontraído e informal.

- Como coach tudo isso desaparece e tens de accionar a tua auto-regulação, de forma a vigiares os teus pensamentos e as tuas palavras antes de serem proferidas. A tua face passa a assumir-se como serena, atenta, neutra, expressando apenas atenção. E os teus gestos são condicionados à discrição. É tua responsabilidade vigiares-te no que fazes, no que pensas, no que dizes, no que expressas na tua face.

Como coach, a tua responsabilidade alarga-se também quanto ao cliente, de modo a que este possa fazer o seu processo pessoal sem interferências pessoais tuas.

Interferências pessoais, sim, o pior pecado de quem diz ser coach. São aquelas leituras que fazes da outra pessoa, do cliente, que apenas dizem respeito à tua vida particular. As tuas convicções e crenças, vindas da tua experiência e história de vida, têm de ficar de fora. Se as colocas na sessão é porque não és coach. Alguns exemplos:

- E já pensou nisto e naquilo?...

- Se se fizesse assim e assado?...

- Porque é que não vai assim e tal?...

- Pois, a vida é assim, as coisas acontecem e tal e tal...

- Mas as coisas não podem ser vistas dessa forma...

- Isso assim poderá não resultar...

- Se eu fosse a si...

- Penso que não deveria fazer isso...

Frases típicas de quem julga saber tudo da vida do outro quando nem percebe muito sobre si, pensando que uma ideia sua cabe no modelo de vida de outra pessoa.

Conquista-te primeiro, domina-te, educa-te e recolhe-te. Só depois talvez consigas ser o suporte de outra pessoa num processo de coaching.

_____________________________________

Consulte os nossos programas de Liderança e Inteligência Emocional e de PNL&Coaching, direccionados às soluções e à flexibilidade emocional

#liderança #emoções #desenvolvimentopessoal #autoajuda #afectos #sentimentos

10 visualizações

© 2013 by JD communication - Portugal - jd@jdias.org - 913254041